Grave êrro se aumentarem idade de reforma dos militares, 20-9-2016

 

DN online:

http://www.dn.pt/portugal/interior/associacoes-de-militares-criticam-alteracoes-propostas-ao-regime-de-acesso-a-reforma-5397566.html

Militares criticam alterações para acesso à reforma

 

Meu comentário:

Antonio Silva ·

Trabalha na empresa Marinha Portuguesa

Ainda há dias foi notícia a morte de 2 militares na casa dos 20 anos por não resistirem ao esforço exigido num treino que simulava condições que poderiam encontrar em caso de conflito. Quantos mais morreriam se já tivessem ultrapassado os 55 anos? Que chances teriam, com esta idade, de combater contra outros militares na casa dos 20 anos?

A conclusão lógica é que o País nada ganha em obrigar militares idosos a ter de combater contra inimigos jovens. Obrigá-los, forcá-los a isso, é até desumanidade, por estar a condena-los previamente à morte se tiverem de intervir.

Para além disso, passar à reserva após 36 anos de serviço como militar e aos 60 à reforma, não é regalia mas sim o direito de recuperar a sua liberdade como pessoa humana e os direitos constitucionais de que gozam os outros cidadãos. E liberdade para poder continuar a trabalhar se puder, mas em condições semelhantes às dos outros cidadãos

Porque, durante todos esses 36 anos da sua vida, em serviço efectivo, esteve em permanente disponibilidade, fosse noite ou feriado, não teve horário de trabalho, e prejudicou a sua vida familiar, a assistência a filhos, com ausências por vezes de meses e anos.  Esteve sujeito a um regime disciplinar tão duro que até prevê prisão disciplinar e proibição de sair da unidade durante vários dias. Com permanente disponibilidade para lutar em defesa da Pátria, se necessário com sacrifício da própria vida (e muitos já morreram ou ficaram deficientes), para o que teve de fazer e manter bem dura preparação.

E com as seguintes restrições às Liberdades e Garantias que a Constituição dá aos restantes cidadãos, enquanto estiver em serviço efectivo:

Direito à liberdade e à segurança (Artº 27º da Constituição).

-Família, casamento e filiação (Artº 36º).

 

Liberdade de expressão e informação (Art 37º).

– Direito de deslocação e de emigração (Artº 44º).

–  Direito de reunião e de manifestação (Artº 45º).

– Participação na vida pública (Artº 48º).

– Associações e partidos políticos (Artº 51º).

– Liberdade sindical (Artº 55º)..

– Direitos dos trabalhadores (Artº 59º).

(Saúde) (Artº 64º).

 

Ambiente e qualidade de vida (Artº 66º).

 

  

  É, como se vê, uma espécie de escravatura mas aceite porque, após o fim do serviço militar obrigatório, só se ingressa por concurso. Mas aceite até com orgulho, por considerarem ser seu dever proteger a sua Pátria, os seus concidadãos e seus bens.

Mas, quando um Governo pretende prolongar-lhe compulsivamente o tempo de serviço efectivo para além do que aceitara, ou o impede de dele sair, aí sim já é mesmo escravatura. Imposta por políticos! Em pleno Século XXI!

Portanto quando alguém diz que a idade de reforma deve ser igual para todos, deve pois assumir que TUDO, mesmo tudo, e não só isso, deve ser igual para todos!

            António José de Matos Nunes da Silva

 


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s